Osaka

Roteiro de 2 dias em Osaka – O que fazer?

1º Dia – Bate e volta de Nara para Osaka Parque de Nara / Animeal / Dotombori

Para quem tem em seu roteiro a cidade de Osaka, é muito indicado fazer nem que seja um bate volta na cidade de Nara.

Como saímos de Quioto de manhã, já fomos direto para Nara e, se assim como nós, você estiver chegando de outra cidade para só depois seguir para Osaka, é possível guardar as malas em um dos vários lockers (armários) que estão disponíveis na estação de metrô em Nara. O aluguel é só pelo espaço, ou seja, não precisa se preocupar em quantas horas sua mala ficará por lá, há armários de diferentes tamanhos e cada um possui uma chave.

Depois de colocar sua bagagem em um deles é só efetuar o pagamento num depósito no próprio armário e levar sua chave, tudo bem simples. Como estávamos com duas malas de mão, foi possível colocá-las juntas, pagamos apenas 700 ienes por isso.

Depois disso seguimos de ônibus para o Parque Nara, lá encontram-se dois Patrimônios Mundiais da Humanidade, o Templo Toadaiji, considerado a maior construção feita em madeira do mundo, que  abriga o maior Buda de bronze do mundo, já deu pra perceber o quão grandioso é o local e também o Templo Kofukuji, destaque por sua linda pagoda de 5 andares, porém, mesmo com tanta beleza e história envolvendo esses templos, não chegamos a entrar neles, demos prioridade ao que para nós foi a maior atração do local, os famosos cervos de Nara. São dezenas deles soltos pelo parque.

Logo na entrada do parque é possível comprar um pacotinho de biscoitos para oferecer a eles e, uma vez que percebem que fez isso, eles vem aos montes em cima de você. É muito engraçado porque uns são bem impacientes, geralmente os maiores, e chegam a dar leves cabeçadas na gente, mas não é preciso ter medo, não chega a doer ou machucar.

O ideal é esconder os biscoitos e ir dando aos poucos. Se estiver com sacolas e bolsas é bom ter cuidado porque alguns mais ousados podem puxá-las de suas mãos. Mas no geral eles são bem calmos, além de gostarem carinho ainda aceitam fazer selfie com você. Foi realmente um dos melhores passeios que fizemos, recomendamos muito.

Para conhecer um pouco mais da cidade, fomos caminhando até a estação de metrô, lá pegamos nossas malas e seguimos para Osaka.

Já em Osaka percebemos que ela não é tão bem sinalizada para turistas como as outras cidades que passamos, na estação quase nada em inglês, nessa hora não precisa se desesperar, utilize o google maps que dará certo. Pertinho da estação fica o Castelo de Osaka, seguimos para lá, mas como estávamos com mala e era preciso subir uma enorme escadaria decidimos não fazer essa visita e ir logo para o hotel.

Nos hospedamos no Serasa Hotel Shinsaibashi, ele é bem simples, seu quarto é pequeno, o atendimento é satisfatório, oferece café da manhã e fica a 800 metros do Dotombori, local mais agitado da cidade. Foi ao Dotombori que fomos para almoçar.

Em seguida fomos conhecer uma das coisas que os japoneses parecem adorar, um café com animais. São inúmeros espalhados pelas cidades, os mais comuns são com gatos e cachorros, mas optamos por ir em um com uma maior diversidade de bichinhos, o Animeal.  Dependendo do horário que escolha para sua visita, poderá interagir com os animais diurnos ou noturnos, demos sorte porque fomos ao final da tarde e era troca de turno, então conseguimos conhecer todos os bichinhos de lá.

Além de cães e gatos há também corujas, cabras, coelhos, porco espinho, um urso-gato-asiático e alguns outros animais, destaque para a simpática capivara que adora fazer pose para fotos. Dependendo do tipo de ingresso que escolha, a visitação pode durar uma hora ou mais, assim como as bebidas também estão inclusas, de acordo com o pacote escolhido.

O local é muito limpo e há várias regras para não estressar os animais. É muito importante salientar que os animais são muito bem cuidados, e em nenhum momento vimos nada que pudesse remeter a nenhum tipo de maus tratos. Foi uma experiência divertida e muito fofa. Valeu muito!

Nesse dia gastamos:

Armário em Nara: 700 Y
Biscoitos para cervos: 200 Y (dois pacotes)
Imãs de geladeira: 900 Y
2 Coca Cola: 370 Y
Lanche em Nara: 500 Y
Almoço: 2000 Y
Animeal: 3100 Y
Jantar: 2000 Y

2º Dia – Universal Studios Japão / Dotombori

Dia de conhecer o Parque Universal Studios do Japão. De fácil acesso indo de metrô, é só seguir para a estação Universal City. O parque abre às 9 horas e é recomendado chegar cedo pois costuma formar grandes filas. Assim como no parque de Orlando, no Japão também há uma área toda reservada do Harry Potter e do Jurassic Park, além de uma área infantil e de filmes, mas a maioria das atrações são bem diferentes daquelas dos EUA, então mesmo que já tenha ido vale a pena conhecer o parque de Osaka. Detalhes das atrações e mais dicas do Universal Studios Japan você encontra aqui.

Como saímos cedo do parque, aproveitamos o restante da tarde para passear no Dotombori, com suas ruas cheias de leds, placas extravagantes, bares, artistas de rua, e muita agitação. Uma parada obrigatória é em frente ao famoso homem corredor da Glico, que fica às margens do canal Dotombori, não dá para passar por lá e não imitar sua pose de campeão.

Outro destaque é para a enorme loja Don Quijote, com seu pinguim azul estampado na fachada, lá você encontra tudo que imaginar e o que não imaginar também. Dê uma passada em seus muitos andares e conheça todo tipo de bugiganga que possa existir.

Não tinha como sair de Osaka sem provar o cheesecake do Rikuro’s, na verdade é tipo um bolo com a massa leve e bem fofa, chega a balançar, bem interessante, nunca tínhamos visto nada assim, estávamos muito curiosos e já saímos do Brasil com a intenção de provar esse bolo. Ele fica na região do Dotombori e é bem famoso, no google maps você acha bem fácil. Pelos comentários da internet o pessoal é maluco por esse doce. Nós até gostamos, mas achamos que seria bem melhor, mas vale a pena você conhecer para tirar suas conclusões.

Também achamos em Osaka um restaurante que servia comida brasileira, localizado no hotel Earthman Hotel & Kaffee, o local é bem bonito e descolado. A chef de cozinha Rosana Matsubara, brasileira morando no Japão há muitos anos, faz algumas de nossas comidas típicas, como feijoada, tapioca, coxinha, empada e até drinks. Como estávamos com muita saudade de comer uma tapioca, ficamos super felizes em encontrar essa iguaria por lá, como também bater um papo com a Rosana e saber um pouquinho como é o Japão do ponto de vista de quem vive lá.

Nesse dia gastamos:

Almoço no parque: 4000 Y
Imã de geladeira do parque: 700 Y
Cerveja no Dotombori: 1300 Y
Cheesecake do Rikuro’s: 675Y
Jantar no Family Market: 2000 Y

No geral achamos Osaka, podemos dizer que um pouco “despreocupada com o turista”. É muito difícil encontrar qualquer coisa escrito em inglês, mesmo no metrô tivemos dificuldades. Nos bares e restaurantes parecem não se sentir confortáveis quando chega alguém estranho e algumas vezes chegam a ser rudes. Mesmo assim foi bom conhecer a cidade e valeu muito a pena pela visita no Parque da Universal, lá sim, são muito simpáticos e atenciosos.

Para mais informações sobre nosso roteiro pelo Japão e pelo parque da Universal Japan, clique nos links.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.